Memória

1. Apresentação

O principal objetivo da Jornada é despertar, nas mulheres de todas as classes sociais, o interesse pela leitura, o acesso à informação e à troca de experiências das escritoras, as mais destacadas em seus países, convidadas anualmente, com prioridade para as Ibero-americanas.

Esse é um evento com a participação de mulheres escritoras, jornalistas, críticos em literatura e todo o universo literário que dedique seu tempo à escrita e à comunicação. Essas pessoas são especialistas na arte de cristalizar ideias, de valorizar o pensamento que desenvolve a imaginação, expressas em versos, narrativas, contos, dramaturgia, pesquisa, romance e todas as vertentes da comunicação literária.

A Jornada tem por meta criar mecanismos que possam viabilizar uma melhor e mais eficaz comunicação entre as Redes de escritoras, editoras criadas por mulheres, tradutoras, pesquisadoras, jornalistas, educadoras e leitoras, com uma atenção especial dedicada a jovens mulheres e homens universitários. O evento visa proporcionar a possibilidade do ressurgimento de novas ideias, novas escritoras e pensadores por meio de uma troca necessária da difusão das políticas culturais existentes que necessitam de uma melhor divulgação através da imprensa, fortalecendo a existência e a possível publicação do trabalho de escritoras brasileiras no exterior.

A originalidade desse movimento está em congregar mulheres escritoras e, ao mesmo tempo, abrir um espaço para a reflexão, viabilizados pelo diálogo aberto junto ao público.

O Prêmio “Lygia Fagundes Telles”foi criado  durante a participação  da própria escritora no ano de 2009 e é entregue, todo ano, à escritora que obteve, com sua obra, um importante destaque social. O Conselho Organizador do evento é quem define a escolha da escritora premiada.

O evento tende a ser uma tribuna aberta para conhecer, mais de perto, mulheres que fazem parte da memória histórica de sua gente, agrupando, no mesmo espaço, mulheres do campo, das classes média e alta, e das classes mais humildes, das cidades e bairros vizinhos, que compartilham  ideias e experiências com escritoras premiadas e já reconhecidas e, outras não tão conhecidas no Brasil, mas sim no seu país de origem. Todas buscando melhorar a autoestima e uma maior segurança diante da facilitação do diálogo com os demais.

A Jornada é um evento idealizado por Isabel Ortega, diretora de teatro, escritora, gestora cultural e tradutora.

A participação do público é gratuita e os convites são distribuídos pela organização do evento, o qual , em seus dois últimos anos, tem congregado as cidades de São Paulo e São José do Rio Preto. O público participante é composto por pedagogas, mestres universitárias, jornalistas, mulheres do campo, empresárias, profissionais liberais, escritores e escritoras, estudantes universitárias, um público, enfim, que se identifica com a literatura. São mulheres que sentem a necessidade de estar perto da informação da realidade de seu país e dos países convidados. O que acontece num espaço aberto onde o diálogo e a mulher são protagonistas.

Durante toda a programação realizam-se eventos paralelos, como exposições, lançamentos de livros, oficinas de literatura dedicadas às educadoras de crianças e jovens, ministrados por uma escritora convidada.

As Universidades  (aberto o item)

2. Objetivos

Realizar encontros e intercâmbios de experiências entre mulheres escritoras do Brasil e de países ibero-americanos.

Entender e considerar como escritoras todas as mulheres que escrevem: jornalistas, pesquisadoras, historiadoras, críticos, pedagogas, professoras universitárias etc.

Publicação de um link catálogo / documento virtual no site da Jornada, onde serão registradas as conferências, mesas redondas, debates, registros fotográficos e vídeos de todo o evento.

Distribuir Certificado de Participação a todos os universitários, pedagogos e escritoras participantes do evento como público.

Proporcionar encontros de redes de mulheres escritoras, abrindo um caminho para o diálogo através da linguagem cultural dos países Ibero-americanos, estimulando outros possíveis encontros e intercâmbios, nacionais e internacionais das mulheres e suas diversidades culturais e sociais.

3. Justificativa

 A Literatura, a escrita feminina, vai criando seu próprio espaço dentro do amplo mercado, no contexto mundial. Desde o final do século XIX, mas principalmente no século XX, tempo que marca a principal transformação pela qual passou a literatura de autoria feminina, suscitou a conscientização da escritora quanto a sua liberdade e autonomia, com possibilidade de trabalhar e criar sua independência financeira.

Os livros estão sempre presentes na Jornada, uma vez que eles são o que nos une,  mas os objetivos do projeto são a interação, a comunicação e a integração social das mulheres que se dedicam ao trabalho de escrever, ensinar a pensar e a querer-se como futuras leitoras, escritoras e pensadoras, neste novo século.

O espaço seguirá existindo com o intuito de: romper silêncios, criar possibilidades para novas perspectivas, retirar textos das gavetas, suscitar o pensar-se como agentes transformadores de uma sociedade mais dialogante e comunicativa.

O fim mais sublime desse projeto certamente está  em indicar a necessidade de priorizar critérios de justiça e equidade social porque, a cultura, em sua rica diversidade, possui um valor intrínseco, tanto para o desenvolvimento, como para a coesão social e a paz.

I Jornada Internacional de Mulheres Escritoras

II Jornada Internacional de Mulheres Escritoras

III Jornada Internacional de Mulheres Escritoras

IV Jornada Internacional de Mulheres Escritoras – 18 e 19 de Maio de 2011

V Jornada Internacional de Mulheres Escritoras – 24 e 25 de Maio de 2012

A V Jornada contou com a presença de escritoras de países como México ( Laura Hernández Muñóz), Argentina, (Araceli Otamendi), Cuba (Maggie Mateo), Gaby Vallejo (Bolívia), Chile (Gabriela Aguilera), Polônia (Rita Braun ), de escritoras brasileiras como, Dulce Quental (Rio de Janeiro), Adriana Kortland (Brasília), Eliane Potiguara (indígena brasileira), Nina Silva (Rio de Janeiro), Giulia Moon, Cecília Prada, Nilza Amaral (São Paulo), Edilene Gasparini Fernandes, Dinamara Garcia,  Claudia Ceneviva Nigro (Rio Preto). A homenagem especial foi dirigida à escritora Rita Braun (Polônia), sobrevivente do Holocausto, que lançou o livro  “Fragmentos de uma vida”, na V Jornada.

O evento foi realizado em São Paulo (dias 22 e 23 de maio de 2012 – SESC Consolação) e em São José do Rio Preto (24 e 25 de maio de 2012, SESC). Neste ano, o grupo de escritoras se reuniu em São Paulo e em São José do Rio Preto para criar um rede de escritoras a fim de divulgar a literatura feminina no mundo.

 

VI Jornada Internacional de Mulheres Escritoras – de 07 a 09 de Maio de 2013

Vi Jornada

 

Anúncios